MARACA INESTIGA AS OBRA DE DUPLICAÇÃO DA AV. ANTÔNIA MUGNATTO MARINCEK.

75339674_1852613498215928_7635045409412349952_oCPI da duplicação da Av. Antônia Mugnatto Marincek aponta erros da empresa terceirizada e da Prefeitura

No último dia 05 de novembro foi lido no Plenário da Câmara de Vereadores o relatório final da Comissão Parlamentar de Inquérito que investigava as obras de duplicação da Av. Antônia Mugnatto Marincek.
Após ser lido, o documento foi encaminhado à Prefeitura Municipal de Ribeirão Preto; ao Ministério Público Estadual e ao Tribunal de Contas do Estado de São Paulo.

*“GRAÇAS AO TRABALHO DA COMISSÃO TIVEMOS MAIS DO QUE UM GRANDE AVANÇO NA OBRA, RESTANDO HOJE SOMENTE O ENTRONCAMENTO DA AV. COM A RODOVIA ANHANGUERA. CONSEGUIMOS A RESCISÃO CONTRATUAL COM A EMPRESA ANTERIOR – QUE ATRASOU AS OBRAS, E ACOMPANHAMOS ATÉ O FINAL O ANDAMENTO DESTA NOVA FASE – COBRANDO E FISCALIZANDO, EM RESPEITO AOS MORADORES DA REGIÃO DO COMPLEXO RIBEIRÃO VERDE.’’* disse Maraca

Durante as reuniões foram apuradas as seguintes falhas:

1 CND’s vencidas e entregues fora do prazo

2 Falha no acompanhamento e fiscalização da obra – pela não constatação da “quarteirização” pela empresa PRIME

3 Demora na abertura dos processos para aplicação de multa, inidoneidade e de perdas e danos

4 Falta de planejamento e ação da Administração Municipal (gestão anterior) para resolução tempestiva da problemática do trânsito intenso no entroncamento da avenida Antônia Mugnatto Marincek com a Rodovia Anhanguera junto ao Governo do Estado de São Paulo

5 Falta de procedimento para que os servidores municipais saibam como agir quando se depara com situações adversas, como a falta de Certidões exigidas para pagamento de serviços contratados

No relatório consta ainda o alerta feito pela CPI à Secretaria Municipal da Fazenda quanto à multa que deveria ser aplicada à PRIME e da caução do contrato que estava vigente, no entanto, a administração municipal, mais uma vez, se mostrou letárgica e a caução teve o seu prazo de validade expirado, resta agora somente a adoção de medidas judiciais para buscar um possível ressarcimento aos cofres públicos.

O relatório finaliza apontando a necessidade de ações urgentes e efetivas para redução de velocidade na avenida, implantação de ecoponto, melhorias na iluminação e priorização das obras no entroncamento com a Anhanguera.

05/11/2019

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s